Um Duque Arranjado

angie lester (49)

Sinopse: “Se existe um título pior que “solteirona”, Melissa Bourne o desconhece. Após oito temporadas falhas ela já havia aceitado que se casar não é algo que faria em sua vida, e por mais que normalmente não se importasse ainda era doloroso ver a irmã mais nova se casar na primeira temporada. 
Enquanto escapava dos olhares no baile de Lady Valbury, acabou por se deparar com um desconhecido nos jardins. Um estranho sedutor, com um beijo que a permitiu conhecer a liberdade de ser desejada, e nunca mais o veria. Ao menos foi o que pensou, antes de na semana seguinte ser pedida em casamento por ele. 
Rannolf Rasbury, o Duque de Hampton, sabia que precisava de herdeiros para seguir com seu título, para isso teria que arranjar uma esposa apenas por conveniência, e quem melhor que a solteirona mais antiga da sociedade, quem ele julgou que aceitaria imediatamente a oferta? Só não contava que ela fosse a garota que beijou nos jardins. 
A união entre um Duque que rejeita o amor e uma sonhadora apaixonada pode soar improvável, mas algumas chamas quando acesas são quase impossíveis de se apagar…”

– Passagens e trechos favoritos: A minha parte favorita foi a primeira vez que Melissa encontrou o Duque Hampton. Um momento onde um não sabia quem o outro era, e acabaram por flertar de uma forma que eu super fiquei querendo que fosse eu no lugar dela!! ❤

– Comentário positivo ou negativo do livro em geral: Uma história incrivelmente simples e fofa. Se inicia em Londres no ano de 1800, onde Rannolf Rasbury, aos seus 10 anos, se torna o Duque de Hampton devido as mortes de sua mãe, que perdeu um bebê antes de terminar a gestação, e de seu pai, que não aguentou viver sem ela e seu amor. Pulamos então, para Londres de 1826, com 36 anos o Duque precisa continuar sua linhagem e ter um herdeiro. Porém, ele não quer ter um amor como o de seus pais para que não acabe o matando como fez com seu falecido pai.

O Duque, Rannolf, deixa bem claro que está a procura de uma esposa apenas para ter filhos, em uma época em que a mulher era vista como uma mercadoria que só poderia trazer herdeiros, cuidar da casa e, no caso de uma duquesa, produzir grandes bailes. Um ponto que senti falta no livro é a falta de detalhes dos ambientes, principalmente por retratar de um romance de época, eu esperava me transportar totalmente para Londres de 1800, mas a descrição conta apenas com o que acontece na história, não retratando todos os detalhes de onde acontece. 

Eu gosto muito de ler livros que retratam como era antigamente, os costumes e principalmente como a mulher era vista na sociedade, não tendo grandes direitos sobretudo com relação ao trabalho, destacando o grande machismo que existia nos tempos passados. 

A impressão que eu tive é como se fosse um conto estendido. Os acontecimentos ocorrem de forma rápida, não dando tempo de o leitor criar expectativa com o que irá acontecer e nem ficar tão ansioso. A narrativa oscila entre o que está acontecendo com o Duque de Hampton e sua pretendente à esposa, Melissa Bourne, um moça de temperamento forte, que não gostaria de estar em um casamento arranjado, mas sim de amor. 

Demorei um pouquinho pra me envolver na leitura, mas quando aconteceu, me apaixonei pelo Duque junto de Mel, chorando e rindo com ela e querendo a qualquer custo conquistar o coração desse lindo homem, super sou do time Mel!!! Se tornando aos poucos uma história mais cativante, não esperava que me cativasse tanto, já que no começo não foi assim! Mas se tornou um livro, clichê, amorzinho! E conquistou meu coração!

IMG_8817

– Qual a mensagem do livro: A história me fez pensar sobre como era o machismo na época de 1800. Como a mulher não era vista exatamente como um ser humano, e sim como uma mercadoria. E, hoje em dia, somos privilegiadas por isso ter mudado e podermos frequentar universidades e escolhermos o que bem entender de nossas vidas, e que o machismo, mesmo que ainda exista um pouco na cabeça de alguns, está sendo aos poucos eliminado da cultura local.

Outra mensagem, bem forte pra mim, foi o fato de que o medo às vezes impede que consigamos algo realmente bom para nós mesmos! É bom ter medo sim, ele nos ajuda em algumas circunstâncias, mas em outras só aumenta a insegurança e afasta algo maravilhoso!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s