Contos de Fadas

angie lester

Sinopse: “Uma charmosa edição de bolso para acompanhar pais e filhos pelo resto da vida. Em um só volume encadernado, as mais famosas histórias infantis, em suas versões originais, sem adaptações, de Grimm, Perrault e Andersen, entre outros. Nesses contos de fadas, bruxas, princesas, encantamentos e finais felizes! O livro inclui:Cerca de 90 pinturas e desenhos, muitos deles raros, de ilustradores célebres como Gustave Doré; Biografia dos autores; A versão impressa apresenta capa dura e acabamento de luxo.”

stock-vector-vintage-gold-frame-on-a-white-background-graphic-vector-design-636295640

Partes Favoritas:

O meu conto favorito é o da Cinderela, já era pela versão mais conhecida, mas continuou sendo. Mesmo o sapatinho não sendo de Cristal e sim de vidro, no caso deste livro.

“Conhecer os contos de fadas é importante para nos conhecermos…”

Comentários:

Este livro, querendo ou não, é uma quebra da infância ao perceber que os contos não são como apareciam na Disney. Porém, os seus ensinamentos e mensagens são mais fortes, não focando na ideia do “felizes para sempre”, mas sim de dar um toque ao leitor.

Dizem que os contos, em suas versões originais, tem uma função quase que terapêutica. Muitos psicólogos os usam para fazer com que algo que esta inconsciente venha emergir, através de algum sonho ou de alguma experiência que a energia da leitura traz.

Fora esse lado terapêutico, os contos realmente mexem de alguma forma. Seja por meio da mensagem que cada um vai passar ou pela história como um todo. Cada conto tem um propósito e são curtinhos, entre 10 à 20 minutos se consegue ler um!!

Contos presentes:

  • Cinderela ou O Sapatinho de Vidro;
  • Pele de Asno;
  • O Gato de Botas ou O Mestre Gato;
  • O Pequeno Polegar;
  • Chapeuzinho Vermelho;
  • Barba Azul;
  • A Bela e a Fera;
  • A Bela Adormecida;
  • Branca de Neve;
  • Rapunzel;
  • João e Maria;
  • A Roupa Nova do Imperador;
  • O Patinho Feio;
  • A Pequena Vendedora de Fósforos;
  • A Pequena Sereia;
  • A Princesa e a Ervilha;
  • João e o Pé de Feijão;
  • A História dos Três Porquinhos;
  • A História dos Três Ursos ou Cachinhos Dourados.IMG_7859

Mensagem: 

Como cada conto apresenta uma mensagem diferenciada. Citarei um pouco sobre a mensagem de cada um:

  • Cinderela ou O Sapatinho de Vidro – Porque ela precisa ir embora à meia noite? Vocês já perceberam que quanto mais tempo passamos ao lado daquele que amamos, mais os nossos defeitos aparecem? Ter um horário para ir embora também deixa aquele “gostinho de quero mais”. O fato de a Cinderela ser gentil fazendo com que fosse merecedora de um príncipe em sua vida, mesmo tendo bruxas como irmãs e madrasta, ela não as tratou mal, não gerando uma energia ruim diante disso e não atraindo coisas ruins para si própria.
  • Pele de Asno – Acredito que, este conto, mostra um pouco dos altos e baixos da vida. Por exemplo, a princesa foi de filha do rei, para uma empregada e, depois, para princesa novamente. Se soubermos levar as coisas sem desanimar e desejando (ela desejou o príncipe antes de ele vir até ela) tudo pode acontecer, basta não nos esquecermos de nós mesmos, do que gostamos e queremos para nós.
  • O Gato de Botas ou O Mestre Gato – Este conto (lembra um pouco de Shrek), remete ao lado material, de que a partir do momento que o marquês tem terras, castelo e ouro ele é bom para se casar. Mas também mostra a importância de sempre dar valor ao que é dado de coração.
  • O Pequeno Polegar – Acho que, a principal mensagem aqui, seria quanto ao pequeno polegar ser o menor dos irmãos. Querendo dizer que não é só porque tem alguma diferenciação, em comparação com os outros, que ele não pode conseguir tanto ou mais que os outros. Outro ponto a ressaltar, é o fato de os pais lenhadores não conseguirem sustentar todos os sete filhos. Mesmo sendo um tanto quanto rude, se eles não tinham condições de sustentar todas aquelas crianças, talvez não devessem ter tido tantos filhos para depois terem que os abandonar.
  • Chapeuzinho Vermelho – Aqui entra aquele velho ditado de não conversar com estranhos. Mas na parte onde a chapeuzinho cita “que olhos grandes você tem…” ela acredita em tudo o que o lobo fala, não percebendo que realmente é um lobo. Mostrando como, às vezes, temos dificuldades de enxergar a verdade, mesmo ela estando em nossa frente.
  • Barba Azul – Acredito que seja um conto mais para o lado machista, já que mostra as consequências de mulheres que não obedecem aos seus maridos. Infelizmente, essas coisas ainda acontecem nos dias atuais.
  • A Bela e a Fera – No primeiro momento se pensa em não julgar o livro pela capa. Mas ao analisar o contexto geral, Bela faz uma escolha de que seu pai traga uma rosa para ela, todo o resto é uma consequência de seus atos. Quando tomamos uma atitude e aquilo gera consequências que não gostamos achamos que tudo está perdido. Mas não é bem assim, no primeiro momento era sim uma Fera, ao olhar mais de perto, na realidade, é um Principe, tudo tem um porque. Inclusive as coisas ruins!
  • A Bela Adormecida – Acho que aqui pode entrar aqueles momentos de quando você não convida alguém para uma ocasião e consequências drásticas podem vir. No caso do conto, houve o sono profundo da princesa. No caso da vida real, as pessoas ficam rancorosas com você e acabam enviando energias negativas para a sua vida.
  • Branca de Neve – Neste tem-se dois ensinamentos, o fato de a rainha querer ser a mais bonita e querer matar Branca para conseguir isso. A competição pela beleza ou pelo melhor que existe na sociedade. E, também, tem o ensinamento mais conhecido, o de não aceitar coisas de pessoas estranhas, porque não sabemos qual é a real intenção desta pessoa. Sim, essa última parte não faz muito sentido pelo fato de o príncipe ser um desconhecido, mas é uma lição que podemos tirar.
  • Rapunzel – Não importa o tamanho da torre, nem se ela não tem portas e nem escadas para subir. Assim como não importa o tamanho da sua dificuldade, sempre há uma maneira de as coisas se ajeitarem e darem certo.
  • João e Maria – O momento em que resolvem comer a casa de guloseimas da bruxa, vem instantaneamente aquela mensagem (parecida com aquela para não falar com estranhos) de que não se deve sair por ai mexendo no que é dos outros, podem haver consequências.
  • A Roupa Nova do Imperador – Quando estamos muito apegados em algo material ficamos cegos e fáceis de ser enganados, porque o apego evita que possamos ver com clareza. Outro ponto, é o fato de as pessoas serem orgulhosas. Se o imperador ou qualquer outro personagem, no conto, tivesse sido sincero e falado que não estava vendo roupa nenhuma, teria-se percebido a verdadeira farsa.
  • O Patinho Feio – Uma das melhores mensagens vem neste conto, em minha opinião. O patinho feio que sempre sofre um certo bullying e chacota dos outros patos e animais, na realidade é uma das aves mais lindas, o cisne. Às vezes somos tão maltratados pela sociedade e aquilo que é imposto, que acabamos não vendo quem realmente somos. Aos olhos desta sociedade podemos ser o patinho feio, mas se olharmos mais de perto e nos conhecermos, veremos que, na realidade, somos cisne. E não fique ressentido de ter sido patinho feio antes, pois agora você pode se valorizar como cisne.

“Agora ele se sentia realmente satisfeito por ter passado por tanto sofrimento e adversidade. Isso o ajudava a valorizar toda a felicidade e a beleza que o envolviam.”

  • A Pequena Vendedora de Fósforos – Uma história um tanto quanto triste, mas nos mostra como nossa imaginação pode ser nossa aliada inclusive nos momentos difíceis da vida. O que custa imaginar que tudo está bem, mesmo que não esteja? Ficar imaginando o quanto pode piorar também não ajuda.
  • A Pequena Sereia – Esta versão da história é a que mais destoa daquela que conhecemos. Mas a mensagem aqui é de que a sereia não se arrependeu de escolher ter pernas para tentar algo que gostaria. Não é porque as coisas não saíram como queríamos que vamos nos arrepender. Ao tomar uma decisão vamos até o fim com ela, o que tiver que ser nosso será. E se não for, podemos dizer que tentamos e não ficamos na vontade.
  • A Princesa e a Ervilha – Aqui podemos ver que a princesa precisa passar por um teste feito por sua sogra para que realmente se prove ser uma princesa, em uma sociedade que vivemos de provações. Também entra o ponto de a ervilha, por mais pequena que fosse, incomodou a princesa. Nos remetendo às nossas preocupações, que, mesmo sendo pequenas, nos incomodam a ponto de não deixarem que tenhamos uma boa noite de sono.
  • João e o Pé de Feijão – Pode-se perceber que quando conseguimos algo que queremos, procuramos por outra coisa, porque aquilo já não é mais suficiente. Me remete àqueles pensadores e estudiosos que dizem que se procurarmos o que queremos fora de nós vamos sempre estar insatisfeitos. Mas se procurarmos dentro de nós, não haverá motivo para insuficiência.
  • A História dos Três Porquinhos – Uma casa bem estruturada é importante para que qualquer outra coisa não a afete, incluindo elementos naturais. Mas, também, remete a nós mesmos, quando estamos fortes emocionalmente nada nos abala, nem o medo!
  • A História dos Três Ursos ou Cachinhos Dourados – Cachinhos prova itens dos três ursos (mingau, cadeira, cama) do maior, do médio e do miúdo, tentando se encaixar em cada um. Mostrando, principalmente, quando não queremos crescer, no caso do conto, os utensílios do urso menor já não encaixavam mais para ela.stock-vector-vintage-gold-frame-on-a-white-background-graphic-vector-design-636295640

Perrault, Grimm, Andersen / Zahar / Literatura Estrangeira, fábula, fantasia, infantil

3 comentários sobre “Contos de Fadas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s